Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2011 / 04 / Alimentos voltam a subir em março e pressionam IPCA

Alimentos voltam a subir em março e pressionam IPCA

Índice teve variação de 0,79%, resultado próximo ao do mês anterior, e está acumulado em 6,3% em 12 meses. Preços de transportes também influenciaram a taxa
por Vitor Nuzzi, da RBA publicado 07/04/2011 11h19, última modificação 07/04/2011 13h23
Índice teve variação de 0,79%, resultado próximo ao do mês anterior, e está acumulado em 6,3% em 12 meses. Preços de transportes também influenciaram a taxa

(Foto: Paulo Pepe/Arquivo)

São Paulo – Com nova alta dos preços dos alimentos, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve variação de 0,79% em março, próxima à do mês anterior (0,80%) e acima da registrada em março do ano passado (0,52%). O IPCA do primeiro trimestre ficou acumulado em 2,44%, ante 2,06% em igual período de 2010. Em 12 meses, o índice chega a 6,30%, também acima dos 12 meses imediatamente anteriores (6,01%). Alimentos e transportes contribuíram com 59% da inflação de março.

"Os alimentos, que haviam iniciado o ano com alta de 1,16% em janeiro e reduzido para 0,23% em fevereiro, voltaram a subir de forma significativa, aumentando 0,75% em março", informou o IBGE, que divulgou os resultados nesta quinta-feira (7). O item carnes continou em queda (-de 2,81% em fevereiro para -1,42% em março), mas outros subiram de preço de um mês para outro. Foram os casos da batata inglesa (de -3,15% para 12,40%), ovo (de 0,66% para 5,08%), feijão carioca (de -10,50% para 1,71%), do açúcar cristal (de 0,96% para 1,48%), leite pasteurizado (de -0,41% para 0,73%) e da farinha de trigo (de -0,04% para 0,70%).

"Mas não foram só os alimentos que registram aumentos", acrescentou o IBGE. Dos nove grupos que compõe o IPCA, cinco tiveram alta de fevereiro para março. O item transportes, por exemplo, que havia subido 1,55% em janeiro e desacelerado para 0,46% no mês seguinte, teve alta de 1,56% no mês passado. O destaque foram as passagens aéreas, que de um mês para o outro passaram de queda de 11,43% para alta de 29,13%, "sob influência do Carnaval e do reajuste médio de 6,00% na taxa de embarque". O etanol também pressionou o índice, ao passar de 2,55% para 10,78%, influenciando o preço de gasolina (de 0,50% para 1,97%).

"As tarifas dos ônibus urbanos também tiveram impacto, ainda que o ritmo de crescimento de preços tenha se reduzido de 1,30% em fevereiro para 0,95% em março", disse o IBGE. Aumentaram as tarifas dos ônibus intermunicipais, de 0,88% para 1,47% – segundo o instituto, reflexo das variações em São Paulo e Curitiba – e do metrô, de 3,05% para 3,81%, "refletindo o reajuste de 9,43% em São Paulo. Já as tarifas de trem foram de 4,69% para 3,67%, "consequência de reajustes no Rio de Janeiro e em São Paulo". Por fim, os ônibus interestaduais subiram 1,14%, ante 2,04% no mês anterior.

Entre os índices regionais, o maior foi o de Fortaleza (1,49%) e o menor, de Salvador (0,33%). O IPCA subiu 0,88% em Belo Horizonte, 0,75% em Porto Alegre, 0,67% no Rio e 0,78% em São Paulo.

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,66% em março, ante 0,54% em fevereiro e 0,71% em março de 2010. Está acumulado em 2,16% no ano (ante 2,31% em igual período do ano passado e em 6,31% em 12 meses (também abaixo dos 12 meses imediatamente anteriores, 6,36%).