Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2010 / 03 / Dieese prevê retomada dos investimentos econômicos em 2010

Dieese prevê retomada dos investimentos econômicos em 2010

por Lisiane Wandscheer publicado 11/03/2010 18h26, última modificação 11/03/2010 18h28

Brasília - O diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio, prevê para este ano uma retomada dos investimentos no país. Ele destacou que o equilíbrio macroeconômico se dá "quando ocorre a retomada do investimento na frente do consumo”.

Lúcio disse que o crescimento de 7,7% do consumo no ano passado deverá ter continuidade este ano. O aumento do consumo foi apontado nos dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país), divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“O Brasil foi recolocado como um mercado de consumo de massa. A tendência é que neste ano tenhamos um crescimento econômico de 5% e a geração de 2 milhões de empregos com carteira assinada. Com o incremento do emprego deve aumentar o consumo”, afirmou o economista.

Para ele, os dados do PIB são positivos e refletem um crescimento econômico continuado, que foi interrompido em 2008, com a crise financeira mundial. “O Brasil diminuiu sua atividade econômica, mas foi menor do que aconteceu em outros países”, disse ele, referindo-se à queda de 0,2% do PIB brasileiro, menor que a de grandes economias, como a dos Estados Unidos, do Japão, da Grã-Bretanha e da Itália.

De acordo com o economista, o aumento do salário mínimo foi um dos fatores que contribuíram para a elevação do consumo. “Os assalariados passaram a ter um incremento real do ganhos, que repercutiu também nos benefícios dos aposentados e nas transferências sociais.”

Lúcio destacou que o crescimento nas regiões Norte e Nordeste é maior que no Sul e no Sudeste, em função de programas de transferência de renda, como o Bolsa Família. “Os trabalhadores, mais pobres, a base da pirâmide salarial, passaram a consumir. Eles antes estavam excluídos”, ressaltou.

Fonte: Agência Brasil