Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 11 / Inflação oficial fecha outubro em 0,28%

Inflação oficial fecha outubro em 0,28%

por Isabela Vieira publicado 11/11/2009 13h47, última modificação 11/11/2009 13h48

Rio de Janeiro - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial no país, fechou outubro em 0,28% e ficou 0,04 ponto percentual acima da taxa de setembro (0,24%), informou nesta quarta-feira (11), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De janeiro a outubro, a inflação registra alta de 3,5%, abaixo dos 5,2% registrados no mesmo período de 2008, destaca o IBGE em nota. No acumulado dos 12 meses encerrados em outubro (índice anualizado) a alta é de 4,17%, ante 4,3% do período encerrado em setembro.

O avanço da inflação reflete, principalmente o aumento de preço dos combustíveis que ficaram 1,74% mais caros de um mês para o outro. “Em período de menor oferta, o consumidor pagou mais 10,61%, em média, pelo litro de álcool e 1,06% pelo litro de gasolina”, informa o documento. O aumento do álcool chegou a 14,64% em São Paulo e a 12,39%, em Porto Alegre.

Puxadas pela alta dos automóveis novos, as despesas com transportes também subiram de 0,27%, em setembro, para 0,51% em outubro, assim como o seguro de veículos ( de 0,26% para 2,73%) e as tarifas de ônibus intermunicipais (de 0,08% para 0,62%).

Devido ao reajuste concedido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) às operadoras a partir de 16 de setembro, as tarifas com telefonia fixa subiram 0,18 ponto percentual, pressionando a inflação do grupo comunicação, que fechou o mês com alta de 0,90%, ante 0,22% em setembro.

Os gastos com gás de botijão e com as tarifas de água e esgoto também aumentaram. Embora a alta tenha sido em ritmo menor, as despesas cresceram de 3,40% para 1,18% e de 0,82% para 0,53%, respectivamente. O aumento desses gastos em ritmo mais lento fez as despesas com habitação passarem de 0,62% no mês anterior para 0,28%, em outubro.

Os preços de alimentos tiveram deflação de 0,09%. Em setembro, a variação foi negativa em 0,14%. A principal contribuição para o resultado foi o preço da cebola, que passou de uma variação de 5,7% em setembro para 26,89% em outubro, além do açúcar (de 9,15% para 9,56%) e do tomate (2,4% para 6,7%).

O IBGE também divulgou hoje, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação de famílias com renda de até seis salários mínimos. Para esse segmento, os preços, em geral, aumentaram 0,24%, acima dos 0,16%, do mês anterior. No ano, o INPC acumula alta de 3,48%. Nos 12 meses encerrados em outubro (índice anualizado), o indicador está em 4,18%.

Fonte: Agência Brasil

registrado em: , ,