Você está aqui: Página Inicial / Economia / 2009 / 11 / 13º vai injetar R$ 85 bi na economia brasileira até dezembro; 8,7% a mais que em 2008

13º vai injetar R$ 85 bi na economia brasileira até dezembro; 8,7% a mais que em 2008

Cerca de 70 milhões de brasileiros vão receber 13º salário
por suzanavier publicado 27/11/2009 18h48, última modificação 30/11/2009 10h19
Cerca de 70 milhões de brasileiros vão receber 13º salário

Cerca de R$ 85 bilhões vão aquecer a economia brasileira até o final de ano, em decorrência do 13º salário pago a aproximadamente 70 milhões de brasileiros. A primeira parcela do benefício deve ser paga até esta segunda-feira 30 de novembro pelas empresas e pelo governo. A segunda parcela tem de ser depositada até o dia 20 de dezembro.

De acordo com cálculos do Dieese, o valor representa 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e engloba os trabalhadores do mercado formal, inclusive os empregados domésticos, aposentados e beneficiários da Previdência Social.

O número de pessoas que receberá o benefício em 2009 é 2,4% superior ao observado em 2008. "Estima-se que 1,7 milhões de pessoas passaram a receber o benefício, por terem requerido aposentadoria ou pensão ou se incorporado ao mercado de trabalho ou ainda formalizado o vínculo empregatício", aponta o estudo. Em consequência, o valor a ser pago em 2009 é 8,7% maior que o de 2008.

Distribuição

Os trabalhadores formais vão receber a maior parte do valor. Cerca de R$ 58,6 bilhões, 69% do valor total, serão pagos a empregados formalizados, que representam 42,1 milhões de pessoas.

Cerca de 20%, aproximadamente R$ 17 bilhões serão pagos a 26,8 milhões de aposentados e pensionistas da Previdência Social.

Levando em conta os ramos de atividade econômica, o levantamento aponta que os trabalhadores do setor de serviços, incluindo administração pública, receberão 60,5% dos R$ 85 bilhões. Os empregados da indústria ficarão com 21%. Os comerciários com 12%, seguidos pelos trabalhadores da construção civil com 4,3% e 2,1% serão destinados àagropecuária brasileira.

A região Sudeste deve ficar com a parcela mais expressiva do montante, 51,8%, seguida pela região Sul, 15,4%. O estado de São Paulo sozinho ficará com 31% do total, o equivalente a R$ 26,3 bilhões.

Destino do benefício

Rafael Seixas, funcionário público na capital paulista, entrevistado pela Rede Brasil Atual, disse que não pretende gastar o 13º, apenas poupar. "Ainda não sei bem se vou investir. O certo é que vou poupar todo o valor".

Já a ascensorista, Milaneza Teixeira de Souza, vai usar o valor para pagar dívidas. "Preciso aproveitar esse valor que entra agora para acertar a vida. Vou pagar minhas dívidas".

A aposentada Iva Maria Albino de Moura, que fazia compras no centro de São Paulo quando atendeu à reportagem, tem vários planos para a segunda parcela do 13º salário. "Vou pagar meu apartamento, ajudar minha filha e pagar a escola da minha netinha". A primeira parcela do benefício, recebida em setembro, segundo ela, foi investida em um tratamento dentário e no pagamento de contas.  

Metodologia

Para fazer o cálculo, o Dieese utiliza como base os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Mocílios (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente a 2008 e informações do Ministério da Previdência e Assistência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).