Você está aqui: Página Inicial / Cidades / 2016 / Governo interino cancela 11.250 unidades do Minha Casa, Minha Vida

Trator

Governo interino cancela 11.250 unidades do Minha Casa, Minha Vida

MTST aponta primeiro corte efetivo em programas sociais do "governo ilegítimo de Temer" e promete intensificar mobilização
por Redação RBA publicado 18/05/2016 10h22, última modificação 19/05/2016 13h39
MTST aponta primeiro corte efetivo em programas sociais do "governo ilegítimo de Temer" e promete intensificar mobilização
reprodução/MTST
MTST

'Trabalhadores sem-teto não aceitarão este retrocesso. As ruas derrubarão esta medida inconsequente e antipopular'

São Paulo – O ministro interino das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), revogou ontem (17) portaria editada no governo Dilma que autorizava a contratação de 11.250 unidades do Minha Casa, Minha Vida Entidades. O ministério alega que a medida foi assinada sem os recursos necessários e que, a partir de agora, equipes técnicas "vão analisar e discutir o modelo de habilitação na modalidade Entidades."

Os empreendimentos cancelados contemplariam unidades nos estados da Bahia, Ceará, Alagoas e Amazonas que seriam destinadas à faixa 1 do programa, que atende famílias com renda mensal de até R$ 1.800.

Em nota, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) afirma tratar-se do "primeiro corte efetivo em programas sociais realizado pelo governo ilegítimo de Michel Temer" e promete responder à decisão com manifestações de rua.

"Somada a anúncios desastrosos em relação ao SUS, às universidades públicas, à previdência social e à cultura, dentre outros, esta iniciativa – capitaneada pelo tucano Bruno Araújo – mostra a que vem e a quem serve o governo golpista", diz a nota do MTST. O movimento afirma que organizará mobilizações "contundentes" nos próximos dias, em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e outras capitais, "contra o sequestro dos recursos da moradia popular pelos que também usurparam o comando do Estado brasileiro".

O programa Minha Casa, Minha Vida foi criado em 2009 pelo governo Lula. Desde então, mais de 10 milhões de pessoas foram beneficiadas com a entrega de 2,6 milhões de moradias em todo o país. Só no estado de São Paulo, cerca de 458 mil unidades foram entregues.

Confira a íntegra da nota:

NOTA DO MTST SOBRE CORTES NO MINHA CASA MINHA VIDA

Hoje, o Ministério das Cidades publicou decisão que suspende a contratação de mais de 10 mil moradias selecionadas no Programa Minha Casa Minha Vida - Entidades, destinadas a famílias de baixa renda (Faixa 1).

Este foi o primeiro corte efetivo em programas sociais realizado pelo Governo ilegítimo de Michel Temer, que até ontem anunciava que não tocaria nos recursos para programas sociais.
Somada a anúncios desastrosos em relação ao SUS, às universidades públicas, à previdência social e à cultura, dentre outros, esta iniciativa - capitaneada pelo tucano Bruno Araújo - mostra a que vem e a quem serve o governo golpista.

Nossa resposta será nas ruas. O MTST organizará mobilizações contundentes nos próximos dias em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e várias capitais contra o sequestro dos recursos da moradia popular pelos que também usurparam o comando do Estado brasileiro.

Mexeram com o formigueiro. Saibam eles que os trabalhadores sem-teto não aceitarão este retrocesso. As ruas derrubarão esta medida inconsequente e antipopular.

Não tem arrego! Nenhum direito a menos!

Coordenação Nacional do MTST