Você está aqui: Página Inicial / Cidades / 2011 / 03 / Entidades organizam resistência a projeto do Rodoanel em Guarulhos

Entidades organizam resistência a projeto do Rodoanel em Guarulhos

por guilhermeamorim publicado 28/03/2011 11h48, última modificação 29/03/2011 11h11

São Paulo - Membros da sociedade civil organizaram um seminário, neste domingo (27), para discutir os impactos da construção do Rodoanel na área norte da cidade de Guarulhos, em São Paulo. Entre os temas da reunião, estavam questões como as de transporte e mobilidade, habitação, e sobre os recursos hídricos da região.

O atual projeto da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A.), responsável pela manutenção de todas as estradas e rodovias do estado de São Paulo, não levanta questões como a de uma possível contaminação do lençol freático e dos sistemas de tratamento de água da Sabesp, em locais por onde haveriam obras, nem quanto ao encaminhamento do entulho resultante das construções. Mebros do Comitê de Luta pela mudança do traçado do trechonorte do Rodoanel-Guarulhos, apontam essas falhas e estão desenvolvendo estudos para passar a limpo essas situações. De acordo com membros do comitê, a Sabesp foi procurada, e demonstra preocupação com a contaminação do lençol freático da região, além das estações de tratamento de esgoto próximas.

Luis Carlos Donizetti Golia, membro do Comitê e coordenador da ONG Projeto Cabuçu do Desenvolvimento Local, comenta que mesmo com o itinerário do Rodoanel evitando áreas de preservação ambiental, as regiões próximas também ser analisadas. Ele explica que as pessoas que habitam a região não têm a escritura de suas casas, e serão prejudicadas num acordo de desapropriação, "1200 familias removidas, no papel, mas a gente que mora lá sabe que vai ser o dobro disso", afirma.

Há críticas de que o projeto de Guarulhos seja muito "horizontal", com poucos viadutos e apenas um túnel, o que leva inevitavelmente à desapropriação. Os membros do Comitê querem um novo estudo de danos ambientais e participarão de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), no dia 14 de abril, para levar aos parlamentares mais informações e seu ponto de vista sobre o tema. Eles estão preocupados de que as licitações sejam aceleradas por conta da necessidade de ifraesturua para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

A partir de agora o movimento pretende elaborar comissões nos bairros da cidade de Guarulhos, e elaborar um documento informativo com um anteprojeto do Rodoanel, para que a população possa opinar. Há também tentativas de reuniões com o prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida (PT) e com Bruno Covas, Secretário de Meio Ambiente de São Paulo, para esclarecer suas queixas.