Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2018 / 06 / Após protestos, Ocupação Marielle Vive abre negociação com proprietário

Cumprindo a constituição

Após protestos, Ocupação Marielle Vive abre negociação com proprietário

Coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto alega que terreno ocupado em Pirituba, zona norte da capital paulista, estava abandonado há mais de 40 anos
por Redação RBA publicado 29/06/2018 11h41
Coordenação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto alega que terreno ocupado em Pirituba, zona norte da capital paulista, estava abandonado há mais de 40 anos
MTST/Reprodução
Ocupação Marielle Vive

Segundo MTST, mais de 3 mil famílias fazem parte da Ocupação Marielle Vive, em Pirituba, zona norte de São Paulo

São Paulo – Integrantes da Ocupação Marielle Vive, localizada na zona norte de São Paulo, protestaram na tarde dessa quinta-feira (28), pelo direito à moradia digna. Em passeata pela avenida Paulista, os manifestantes marcharam até a altura do Conjunto Nacional, onde o proprietário do terreno ocupado tem um escritório, para abrir a negociação. Apesar de terem a entrada no edifício impedida pela Polícia Militar, o dono do terreno concordou, por telefone, em receber oficialmente uma proposta de habitação popular para o local, segundo informações veiculadas na página do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).

"Não é justo, nem legítimo, que essa área continue abandonada, parada, com esse déficit habitacional enorme que nós temos na cidade de São Paulo e na zona norte", afirma o coordenador do MTST, Felipe Vono, destacando que o terreno pertence a uma área de interesse social, prevista no Plano Diretor de Zoneamento da capital paulista.

"O que nós estamos fazendo hoje exige que a lei seja cumprida, que aquela área seja destinada à moradia para atender à demanda habitacional da Ocupação Marielle Vive", finaliza Vono.

Assista à matéria completa: