Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 11 / 'Cumprida com louvor', marcha do MTST conquista promessa do governo Alckmin

Nas ruas

'Cumprida com louvor', marcha do MTST conquista promessa do governo Alckmin

Após mais de 10 horas de caminhada, movimento por moradia tem reunião com secretários estaduais. Novo encontro foi marcado para o próximo dia 10
por Redação RBA publicado 01/11/2017 11h14, última modificação 01/11/2017 14h19
Após mais de 10 horas de caminhada, movimento por moradia tem reunião com secretários estaduais. Novo encontro foi marcado para o próximo dia 10
MÍDIA NINJA
marcha do mtst

Sem teto chegaram no Palácio dos Bandeirantes pós caminhar 23 quilômetros, em um pouco mais de dez horas

São Paulo – Após 23 quilômetros cumpridos em pouco mais de 10 horas, o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) encerrou, na noite desta terça-feira (31), a marcha entre a ocupação Povo Sem Medo, em São Bernardo, e o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Em seu trajeto final, a manifestação reuniu 20 mil pessoas. Segundo o coordenador nacional do movimento, Guilherme Boulos, a mobilização foi encerrada com o sentimento de dever cumprido. "Essa nossa marcha foi um grande acerto e representou uma importante vitória para o MTST", afirmou.

A "redução de peso nos ombros" se deu após a reunião entre o MTST, deputados estaduais e os secretários do governo Alckmin Samuel Moreira (Casa Civil) e Rodrigo Garcia (Habitação). O movimento reivindica o cadastramento social das famílias da ocupação Povo Sem Medo, o estudo de novas áreas para construção de moradias na região e a desapropriação da área ocupada – que acumula dívidas de IPTU e passou 10 anos sem nenhuma utilização. 

O secretário Rodrigo Garcia disse que os pedidos serão avaliados. Nova reunião foi marcada para o próximo dia 10. "Queremos discutir alternativas habitacionais, de terreno e de construção de moradia para as famílias que estão lá. Essa vai ser a pauta da reunião que teremos", disse Boulos.

"Depois de marchar mais de 10 horas e ter conseguido abrir de verdade um processo de negociação, em que o próprio secretário vem aqui e se compromete, isso, para nós, é importante. Se comprometendo aqui, na frente de todo mundo, o negócio fica mais sério e mais verdadeiro. Temos muitas razões para comemorar lá na nossa ocupação em São Bernardo", acrescentou o líder do MTST.

Desde 1º de setembro, os sem-teto instalaram 8 mil barracas em um terreno improdutivo de 60 mil metros quadrados, pertencente à MZM Construtora. No início deste mês o Tribunal de Justiça autorizou a reintegração de posse da área, mas com a condição de que antes deve haver uma tentativa de acordo, entre os sem-teto, a proprietária do terreno e o governo.

"Tivemos uma reunião demorada, dura, difícil, o secretário veio aqui, assumiu compromissos perante todos. Mas, mais importante do que isso, é a gente se manter firme, vigilante e de prontidão, para fazer o que for necessário para que a gente consiga que o que foi falado não fique só da boca para fora, que vire papel assinado, que saia do papel e vire realidade em construção de moradia, que é o que a gente busca, dia e noite, como movimento", concluiu Boulos.

O deputado estadual Alencar Santana (PT), que participou da reunião, parabenizou os sem-teto pela marcha. "Hoje vocês deram uma demonstração enorme de força, de compromisso com a luta popular. Parabéns a cada um que tem resistido. O governo Alckmin tem de assumir a sua responsabilidade. O secretário (Rodrigo Garcia) disse que há uma política habitacional, então, garanta", afirmou.

A caminho do Palácio dos Bandeirantes, um grupo do MTST que havia saído de outras ocupações na cidade, encontra-se com a marcha que vinha de São Bernardo do Campo. Assista: