Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 05 / Gestão Doria extinguiu 21 linhas de ônibus e alterou 17 desde janeiro

São Paulo

Gestão Doria extinguiu 21 linhas de ônibus e alterou 17 desde janeiro

Das linhas modificadas, sete deixaram de circular aos domingos, cinco aos sábados e cinco tiveram o itinerário cortado
por Rodrigo Gomes, da RBA publicado 17/05/2017 13h45, última modificação 17/05/2017 15h51
Das linhas modificadas, sete deixaram de circular aos domingos, cinco aos sábados e cinco tiveram o itinerário cortado
Nelson Antoine/Folhapress
linhas

Cortes de linhas atingiram todas as regiões, mas a zona leste foi a mais afetada, com 13 linhas alteradas

São Paulo – Desde 1º de janeiro, a gestão do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), já eliminou 21 linhas de ônibus em várias regiões da cidade, das quais 20 eram diárias e uma noturna. Outras 17 linhas foram alteradas, sendo que cinco delas deixaram de circular aos sábados, sete não rodam mais aos domingos e feriados e cinco tiveram seus itinerários reduzidos, passando a exigir integração dos passageiros para chegar ao destino atendido anteriormente. As informações foram obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação e consultas a dados divulgados pela São Paulo Transporte (SPTrans).

Rafael Calabria, pesquisador em mobilidade urbana do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e membro do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), considera que mudanças desse tipo deveriam ser dialogadas com a população e inseridas no processo de licitação do transporte coletivo que deve ser retomado em breve. Desde 2013, os contratos de prestação de serviços da prefeitura com as empresas de ônibus está mantido em caráter emergencial.

“A licitação prevê um grande número de alterações de linhas e essas mudanças feitas aparentemente sem critérios técnicos ou conexão com o planejamento proposta na licitação preocupam. A rede de hoje é uma colcha de retalhos justamente porque foi sendo emendada e alterada ao longo dos anos, sem planejamento. É preciso que a prefeitura estude as linhas, as demandas da população, as sobreposições, para que as mudanças melhorem a mobilidade”, argumenta Calabria.

O pesquisador destacou que algumas alterações podem deixar locais sem transporte coletivo e que a população deve reclamar nos serviços municipais (pelo telefone 156 ou no site da prefeitura) quando se sentir prejudicada pelo corte de linhas. “Os cortes estão sendo feitos de uma forma desconexa, um pouco em cada região. Não é uma reorganização local, como ocorreu nas gestões anteriores. É preciso que a frequência de ônibus nas linhas remanescentes aumente para absorver a demanda deixada pelas que foram extintas. O Idec orienta que a população reclame da alteração se houver prejuízo”, explica.

Para o vereador Toninho Vespoli (Psol) a medida é prejudicial à população e realizada de forma autoritária pela gestão Doria. “Como sempre, uma medida que ataca os mais pobres, pois exclui linhas da periferia, e restringe o direito das pessoas à cidade. A administração desse prefeito quer apenas vender a cidade e fazer marketing, maquiando ações. Quando se olha a cidade a fundo, vê-se que ela, principalmente suas regiões mais periféricas, está abandonada e sofrendo com o descaso da prefeitura”, afirmou.

SPTrans Mapa Transporte
Divisão do transporte coletivo na capital paulista

Das nove regiões da cidade em que está dividido o transporte coletivo de ônibus, conforme o mapa ao lado, somente a zona sudeste (5) não teve mudanças em linhas. A região central (9) não é origem de linhas, apenas destino. A zona leste (regiões 3 e 4) teve mais modificações, com 13 linhas alteradas. Em seguida vem a região sudoeste (7), com dez. A região norte (2) teve seis mudanças, a sul (6) e a oeste (8) tiveram cinco cada uma e a sudoeste (1) teve duas alterações.

Em nota, a SPTrans informou que as linhas foram desativadas buscando reduzir os índices de sobreposições no sistema municipal de transporte público e que os veículos das linhas extintas foram incorporados às linhas que foram mantidas.

"Em todas as situações, foi garantido o deslocamento dos usuários. As linhas alteradas aos fins de semana, além de sobrepor o itinerário de outras que continuam existindo, apresentavam baixa demanda. A SPTrans avalia o serviço de forma contínua para realizar ajustes sempre que necessário, a universalidade de atendimento, boa qualidade do serviço, envolvendo rapidez, conforto, regularidade, segurança, continuidade, modicidade tarifária, eficiência, atualidade tecnológica e acessibilidade e prioridade do transporte coletivo sobre o individual, sem causar desatendimento aos habituais usuários", diz a nota.

Linhas alteradas

Na zona leste foram extintas as linhas 2022-51 Jd. dos Ipês - Pq. D. Pedro II; 3574-41 Vl. Taquari - E. T. Itaquera; 4054-10 Jd. Nsa. Sra. do Carmo - Metrô Itaquera; 2523-21 Vl. Progresso - Term. Princesa Isabel; 3414-21 Vl. Dalila - Metrô Tatuapé; ), e N338-11 CPTM Guaianazes – Lajeado (noturna). Já as linhas 4014-10 Jd. Vl. Carrão - Term. Vl. Carrão; 407W-10 Jd. IV Centenário – Metrô Carrão; 407I-10 Conj. Manoel da Nóbrega – Metrô Bresser; 4015-10 Term. São Mateus - Jd. Rodolfo Pirani, e 4016-10 Term. São Mateus - Jd. Rodolfo Pirani deixaram de circular aos domingos.

A linha 2460-10 Cem. da Saudade - Term. Pq. D. Pedro II foi encurtada e recebeu a designação Cem. da Saudade - Term. A. E. Carvalho. Mesma situação da linha 2523-10 Vila Progresso - Term. Princesa Isabel, que virou Vila Progresso - Term. A. E. Carvalho.

Na zona sudoeste foram extintas as linhas 7058-10 Jd. Mitsutani - Term. Campo Limpo; 7011-21 Chác. Sta. Maria - Jd. Ângela; 6028-31 Riviera - Term. Santo Amaro; 677A-23 Brooklin - Term. Jd. Ângela; 7710-10 Term. Guarapiranga - Metrô Ana Rosa, e 7710-10 Term. Guarapiranga - Metrô Ana Rosa.

A linha 675N-10 Term. Sto. Amaro - Metrô Ana Rosa deixou de circular aos sábados e as linhas 7054-10 Jd. Macedônia - Term. Campo Limpo e 7053-21 Jd. Maria Sampaio - Term. Campo Limpo deixam de circular aos domingos. A linha 677A-10 Term. Jd. Ângela - Metrô Ana Rosa foi reduzida e recebeu a designação Term. Jd. Ângela - Pq. do Povo.

A zona norte teve extintas as linhas 107T-31 Metrô Tucuruvi - Term. Pinheiros e 9501-21 Term. Cachoeirinha - Term. Princesa Isabel. Aos sábados, deixaram de circular as linhas 9701-10 Hosp. Cachoeirinha - Metrô Santana; 1766-10 Jd. Cabuçu - Metrô Santana, e 2030-10 Lauzane Paulista - Metrô Santana.

Na região noroeste foi extinta a linha 8622-42 Sol Nascente - Lgo. do Paissandú e reduzido o itinerário da linha 819R-10 Perus - Term. Lapa, que virou a linha 1020-10 Perus - Conexão Vl. Iório.

Deixaram de circular na região sul as linhas 509M-21 Jd. Miriam – Moema; 6358-41 Vl. Império - Term. Bandeira; 6063-21 Jd. Novo Horizonte - Term. Varginha; 6057-41 Vila Natal - Term. Grajaú, e 6030-21 Unisa-Campus 1 - Term. Santo Amaro.

E na zona oeste foram extintas as linhas 856R-21 Lapa - Shopping Iguatemi; 756A-21 Jd. João XXIII - Shop. Morumbi, e 756A-22 Jd. João XXIII - Estádio Morumbi. A linha 6418-10 Real Pq. - Brooklin Novo deixou de circular aos sábados. A linha 756A-10 Jd. Paulo VI - Term. Santo Amaro foi encurtada, recebendo o nome de Jd. Paulo VI - E. T. Água Espraiada.