Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 04 / Gestão Doria não apresenta prazo para refazer ciclovia apagada no Morumbi

São Paulo

Gestão Doria não apresenta prazo para refazer ciclovia apagada no Morumbi

Faixa para bicicletas foi removida em 22 de março, sob alegação de manutenção. Ciclistas ficaram sem segurança no local
por Rodrigo Gomes, da RBA publicado 07/04/2017 13h35
Faixa para bicicletas foi removida em 22 de março, sob alegação de manutenção. Ciclistas ficaram sem segurança no local
Márcia Minillo/RBA
ciclo

Ciclistas têm de se arriscar entre os carros para trafegar pelo local onde a gestão Doria removeu a ciclovia

São Paulo – Passadas duas semanas da remoção da ciclovia no trajeto da rua Doutor Fausto de Almeida Prado Penteado com Avenida Amarilis, no Morumbi, zona oeste da capital paulista, a gestão do prefeito João Doria (PSDB) não informa prazo para que a via seja restabelecida. A justificativa do governo municipal é que se tratou de um “serviço de manutenção do pavimento, como operação tapa-buraco e nivelamento de piso“. No entanto, ciclistas que circulam pelo local garantem que a via estava em perfeitas condições de uso.

Embora a gestão Doria diga que foi uma ação para tapar buracos, todo o trecho da ciclovia, de aproximadamente 600 metros, entre a Avenida Doutor Alberto Penteado e a rotatória da Avenida Amarilis foi coberto com pavimentação nova no dia 22 de março. Nenhuma sinalização de solo, como a pintura vermelha, o alinhamento branco ou as tachas foi recolocada. Apenas três placas indicativas da existência de ciclovia e da proibição de parada e estacionamento de veículos foram recolocadas, depois de reclamações dos ciclistas.

No local também não há qualquer indicação de obra em andamento. Os ciclistas que percorrem o trecho se arriscam em meio ao trânsito de veículos que, naturalmente, passam sobre a parte da pista que antes era reservada às bicicletas. “O movimento é maior aqui de manhã, quando o povo vai trabalhar“, explicou o estudante Igor Silva, de 16 anos, que passa no local para ir à escola todos os dias. “Ficou difícil, né? A ciclovia dá segurança“, completou o jovem, que defende a criação de uma nova ciclovia na Avenida Doutor Alberto Penteado, onde o trânsito de veículos é intenso.

Marcia Minilo/RBA ciclovia
No trecho em que a sinalização de solo permanece parcialmente, os motoristas estacionam sobre a ciclovia

No trecho após a rotatória até o Parque Alfredo Volpi, os tachões que fazem parte da sinalização de solo foram todos removidos. A pintura vermelha que marca a ciclovia está necessitando manutenção. Vários veículos foram flagrados estacionados sobre a pista para bicicletas.

Segundo Marina Harkot, do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), os ciclistas estão esperando respostas do secretário de Mobilidade e Transporte, Sérgio Avelleda. “Temos uma reunião marcada para a próxima semana em que uma das pautas é essa ciclovia“, afirmou.

A gestão Doria até agora não apresentou qualquer satisfação aos usuários de bicicleta sobre a proposta de revisão do Plano Cicloviário da capital paulista. Além da ciclovia apagada, Doria determinou a suspensão de uma ciclovia na Avenida Ricardo Jafet, na região do Ipiranga (zona sul), no início de fevereiro.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) respondeu por meio de nota: “Informamos que toda extensão da Rua Doutor Fausto de Almeida Prado Penteado e da Avenida Amarílis receberam serviços de manutenção do pavimento, como operação tapa-buraco e nivelamento de piso. As placas foram retiradas para limpeza, pois estavam pichadas, e agora estão sendo reinstaladas. Em breve, toda a sinalização nos locais citados pela reportagem serão refeitas“.

 

registrado em: , , ,