Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2016 / 08 / Jovens da periferia de SP denunciam desrespeito e violência em abordagens policiais

enquadro

Jovens da periferia de SP denunciam desrespeito e violência em abordagens policiais

Segundo levantamento com estudantes do Campo Limpo, 60% já foram parados pela polícia e a maioria reclama do tratamento
por Redação RBA publicado 23/08/2016 11h02, última modificação 23/08/2016 14h57
Segundo levantamento com estudantes do Campo Limpo, 60% já foram parados pela polícia e a maioria reclama do tratamento
reprodução/TVT
Enquadro

Conduta violenta e desrespeitosa da PM chega a causar traumas psicológicos, aponta levantamento

São Paulo – Pesquisa feita no Campo Limpo, no extremo sul de São Paulo, mostra que mais da metade dos jovens já sofreram abordagem policial – o chamado "enquadro" – e quase 80% deles classificaram a conduta dos policiais como pouco respeitosa e violenta.

Pelo levantamento, realizado pelo Comitê Juventude e Resistência em parceria com a diretoria regional de Educação do Campo Limpo, foram ouvidos 700 estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e constatou-se que 407 (quase 60%) já foram abordados pela polícia. Desse total, 332 acharam a abordagem pouco respeitosa ou violenta, e 116 ficaram com sequelas físicas e psicológicas.

A reportagem do Seu Jornal, da TVT, foi ao Capão Redondo, extremo sul da capital e ao Parque do Ibirapuera, área nobre da zona sul, e constatou diferenças no tratamento dado pela polícia em suas abordagens. "A gente fala que o policial, que está na ponta, não é o nosso inimigo principal. Na verdade, eles servem a um sistema que trata o pobre como inimigo", diz o educador e produtor cultural Fernando Ferrari, em entrevista à repórter Michelle Gomes.

Assista à reportagem: