Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2016 / 02 / PM reprime protesto de torcedores do Corinthians contra a Globo

censura organizada

PM reprime protesto de torcedores do Corinthians contra a Globo

por Redação RBA publicado 12/02/2016 13:19, última modificação 12/02/2016 13:39
reprodução/fb
corinthians.jpg

Inicialmente, é possível observar a faixa contra a emissora; na sequência, a PM posicionada

São Paulo – A Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians, protagonizou uma cena de protesto durante a partida do clube ontem (11), contra o Capivariano, válida pelo Campeonato Paulista. Os torcedores estenderam três faixas, sendo uma diretamente contra a Rede Globo, outra contra a imposição, pela emissora, do horário das 22h para a realização de jogos e uma outra ainda exigindo do clube esclarecimentos sobre as contas da construção da Arena Corinthians.

A ação dos torcedores provocou tumulto, após a Polícia Militar proibir a manifestação. A torcida retirou as faixas, e a PM se posicionou estrategicamente para impedir que o protesto fosse retomado. Após insistência da organizada em exibir novamente os dizeres de indignação, durante o intervalo, os policiais agiram com violência na repressão e na censura aos manifestantes.

Em repúdio à ação policial, a torcida se manifestou pelo Twitter com a foto de um torcedor machucado e os dizeres: "A ditadura ainda existe no nosso país! Ao protestarmos pacificamente, somos tratados assim".

A faixa que causou maior polêmica trazia a frase: "Rede Globo, o Corinthians não é seu quintal". As outras mostravam: "Jogo às 22h também merece punição" e "Cadê as contas?", esta última em relação ao estádio. A torcida entoou gritos contra a Federação Paulista de Futebol (FPF), que puniu a Gaviões da Fiel com uma suspensão de 60 dias dos estádios, por terem usado sinalizadores na final da Copa São Paulo, em 25 de janeiro.

Em resposta à punição, a torcida organizada já havia realizado um protesto em frente a FPF, na zona oeste da capital, no último domingo de janeiro (31). Durante o ato, os manifestantes levantaram faixas e bandeiras, além de soltar fogos e sinalizadores. Na ocasião, a torcida aproveitou ainda para se manifestar em relação ao escândalo da merenda escolar, cujo principal investigado no esquema é o deputado estadual Fernando Capez (PSDB), atual presidente da Assembleia Legislativa.

Com o grito "Eu não roubo merenda, eu não sou deputado, trabalho todo dia, não roubo meu estado", a Gaviões se referiu ao parlamentar, que além de investigado no escândalo, é um grande opositor das torcidas organizadas.