Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2016 / 01 / Sabesp muda regras, e consumidores terão dificuldade para alcançar desconto

mais rígido

Sabesp muda regras, e consumidores terão dificuldade para alcançar desconto

A partir deste mês, os clientes terão de consumir 22% menos água para manter o benefício na fatura
por Redação RBA publicado 11/01/2016 18:32, última modificação 11/01/2016 19:22
Comments
A partir deste mês, os clientes terão de consumir 22% menos água para manter o benefício na fatura
Marcos Santos/Jornal da USP
aumento_contas-de-agua_sabesp_brasil01.jpg

Antes a meta de consumo era ficar abaixo de 15 metros cúbicos de água; agora, passou a ser de 11,7 metros cúbicos

São Paulo – A partir deste mês, as regras da Sabesp para o consumidor conseguir descontos na conta de água ficarão mais rígidas. Em entrevista à repórter Anelize Moreira, da Rádio Brasil Atual, a coordenadora da Proteste Associação dos Consumidores, Maria Inês Dolci, reclama que os consumidores já colaboravam, economizando água e convivendo com o rodízio. “Nós entendemos que falta transparência nesse processo. Muitos consumidores que economizaram e receberam bônus de até 30% terão de economizar mais 22%, ou seja, a regra ficou mais rígida.”

A Sabesp alterou a média de consumo para o cálculo do bônus. A partir deste mês, os clientes terão de consumir 22% menos água para manter o mesmo benefício na fatura. De acordo com a Sabesp, 77% dos consumidores reduziram o consumo de água em 2015.

A meta de consumo mudou e estabeleceu que o valor será de 22%, isto é, se antes a meta era ficar abaixo de 15 metros cúbicos de água, agora, passou a ser de 11,7 metros cúbicos de água por mês.

Pelas novas regras propostas, o limite mensal para o consumidor que obtém desconto de 30% na conta será multiplicado por um fator de 0,78. “Caso a conta de água venha acima dessa média, o proprietário do imóvel pagaria uma sobretaxa que poder ser de 40% a 100% do valor da tarifa de água. Agora, caso o dono do imóvel consuma menos que 10% da média, ele ganharia um bônus gradativo.”

Ouça:

comentários do blog alimentados pelo Disqus