Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2015 / 02 / Sottili avalia como positivo primeiro ano do programa De Braços Abertos

direitos humanos

Sottili avalia como positivo primeiro ano do programa De Braços Abertos

Então secretário de Direitos Humanos e Cidadania classificou, na sexta-feira à TVT, trabalho como correto e ressaltou redução de 80% no 'fluxo'
por Redação RBA publicado 02/02/2015 10h39, última modificação 02/02/2015 14h32
Então secretário de Direitos Humanos e Cidadania classificou, na sexta-feira à TVT, trabalho como correto e ressaltou redução de 80% no 'fluxo'
reprodução/TVT
braçosabertos

Remuneração, moradia, refeição e formação profissional já resultaram em usuários que conquistaram autonomia

São Paulo – Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde paulistana, o programa De Braços Abertos, implementado pela prefeitura na região central da capital conhecida como cracolândia, completou um ano em janeiro, com redução de 80% no fluxo de dependentes na região.

Criado para atender a usuários de drogas em situação de rua, o programa dá assistência atualmente para 453 pessoas que recebem moradia em hotéis sociais, três refeições diárias, cursos de capacitação e oportunidade de emprego em serviços de varrição e limpeza de ruas e praças. A remuneração é de R$ 15 por dia.

O então secretário de Direitos Humanos e Cidadania da prefeitura de São Paulo, Rogério Sottili, em entrevista à TVT, na sexta (30), fez um balanço positivo da operação: "Um trabalho correto, que tem como princípio agir na redução de danos, e muito bem articulado com uma política de governo que leva cidadania para uma população completamente vulnerável". Sottili entregou o cargo nesta segunda-feira (2) ao ex-senador Eduardo Suplicy.

Segundo balanço divulgado pela prefeitura, em um ano de funcionamento o programa realizou cerca de 54 mil atendimentos de saúde, 599 atendimentos odontológicos, além de reduzir a criminalidade e o fluxo de usuários de drogas na região, que fica no bairro da Luz.

Sottili classifica como "muito significativa" a redução no fluxo diário de usuários no local, que era de cerca de 2 mil pessoas – com picos de até 3 mil –, antes do programa, para cerca de 500 atualmente.

Dos participantes do programa De Braços Abertos, 21 já estão em processo de autonomia e conseguiram inserção no mercado de trabalho formal.

De acordo com o secretário, o programa passa por um processo contínuo de aperfeiçoamento. "Nós não podemos esconder que temos problemas", disse Sottili, que promete melhorar as condições de moradia, trabalho e alimentação dos beneficiários do programa.

Confira a reportagem completa da TVT: