Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2013 / 10 / Projeto do governo federal participa de investigações sobre violência policial em SP

Projeto do governo federal participa de investigações sobre violência policial em SP

Juventude Viva
por Redação RBA publicado 30/10/2013 15h26
Juventude Viva
Marcelo Camargo/ABr
jovem negro

Homicídios e violência policial são causas da morte de jovens negros do sexo masculino, entre 15 e 29 anos

São Paulo – Jovens ligados ao Plano Juventude Viva, lançado na última sexta-feira (25), auxiliaram a Secretaria Municipal de Juventude a iniciar as investigações sobre o assassinato do adolescente Douglas Rodrigues, morto por um policial militar no bairro do Jaçanã, na zona norte da capital paulista. O órgão, informado do óbito do rapaz pelos jovens, coletou dados dos moradores presentes no momento do disparo da arma e construiu um relatório para dar início ao encaminhamento do caso pelo Ministério Público.

O Plano Juventude Viva é uma iniciativa do governo federal, em parceria com municípios brasileiros, criada para atuar na prevenção da violência contra o racismo e a exclusão da juventude. O coordenador da Juventude da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Gabriel Medina, explica, em entrevista à Rádio Brasil Atual que a circulação das informações é um indicativo de que o plano tem resultados.

“Jovens do movimento negro que estavam lá e verificaram o ocorrido me ligaram relatando o processo. Eles participaram dos nossos diálogos no Plano Juventude Viva e sabiam que nós coordenamos essa ação. A primeira etapa já foi alcançada, que é a ideia de rede, de que a sociedade civil controle e cobre o estado sobre a execução da política.”

Apesar disso, o coordenador da Juventude ressalta que, além da rede de informações, é necessária a criação de mecanismos de denúncia e proteção aos jovens.

Segundo o Ministério da Saúde, 76,6% dos jovens entre 15 a 29 anos mortos por homicídio em 2010 eram negros. Destes, 91,3% eram homens, em sua maioria, moradores de periferias e centros urbanos. “A ação política de acompanhamento no território faz com que a prefeitura também demonstre o seu papel no plano. Nós não temos o papel de segurança pública no caso da Polícia Militar, mas podemos entrar com um conjunto de ações complementares de uma rede de garantia de direitos que ajudará a prevenir e a melhorar esses indicadores”, argumenta Medina.

Diálogos SP

Parte do Plano Juventude Viva em São Paulo prevê a realização de rodas de conversa sobre temas relacionados à cidade e a noção de rede de jovens. Hoje (30), o tema da discussão Diálogos SP será a cidadania e a ocupação dos espaços públicos. O encontro ocorrerá das 18h30 às 22h, na Praça Roosevelt, no centro da cidade.

Para Medina, a rede tem a função de construir circuitos e políticas de ocupação de praças, parques e ruas para requalificar o espaço urbano. "De um lado, nós temos os shopping centers como principal espaço de convivência na cidade de São Paulo. De outro, nós temos a cultura do medo instalada pelos veículos de comunicação de massa, que faz com que as pessoas não saiam e se isolem em suas casas", afirma.

Confira a reportagem completa de Anelize Moreira.