Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2013 / 06 / Parada Gay paulistana manifesta luta por igualdade de direitos sem restrições

Parada Gay paulistana manifesta luta por igualdade de direitos sem restrições

cidadania na rua
por Redação RBA publicado 02/06/2013 16h06, última modificação 03/06/2013 09h29
cidadania na rua
Alexandre Moreira/Brazil Photo Press/Folhapress
parada 1.jpg

Militantes, ativistas e participantes em geral se unem em torno das causas e da festa promovidas pela Parada Gay paulistana

São Paulo – Debaixo de chuva e na presença de milhares de pessoas, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), abriu a 17ª Parada do Orgulho GLBT de São Paulo. Ele estava acompanhado pela mulher, Ana Estela, pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, e pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ).

O tema do evento neste ano, "Para o armário nunca mais", com referência à luta contra o retrocesso dos direitos adquiridos pela comunidade LGBT até agora, inspirou Haddad a dar o seu recado. Ainda na concentração, em frente ao Masp, na avenida Paulista, o prefeito disse que "existe amor em São Paulo e vamos lutar contra a intolerância e resgatar os direitos civis. Viva São Paulo, na luta pela liberdade".

Para o prefeito, é hora de chamar a cidade para debater a necessidade de ampliar todos os direitos civis e humanos indiscriminadamente. "A parada é um evento que honra a cidade. São Paulo é uma cidade que honra os direitos civis. Aqueles que hoje têm comportamento homofóbico em algum momento de sua própria história tiveram de lutar contra preconceitos. A parada tem de ter o sentido de mão estendida para a paz. É uma luta de todos por convivência pacífica", afirmou Haddad.

O mote foi seguido pela ex-prefeita Marta, que mostrou entusiasmo com a grande presença de público. "Esta é a maior parada LGBT da história. Eu nunca vi a parada tão cheia e está chovendo.”

O deputado Jeans Wyllys destacou a Parada Gay de São Paulo como ato político da luta pelo reconhecimento da igualdade de direitos de todos os cidadãos, independentemente de gênero ou preferências afetivas. "Fora o fundamentalismo religioso, viva a nossa batalha. Nós somos muitos e não somos fracos".

Além dos muitos discursos de políticos e ativistas, 17 trios elétricos vão animar os presentes à Paulista durante a tarde. O evento será encerrado com um show da cantora Daniela Mercury. Até as 16h ainda não eram conhecidas estimativas oficiais da presença de público no evento.

registrado em: ,