Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2012 / 07 / Governo federal repudia invasão da sede do Tortura Nunca Mais do Rio

Governo federal repudia invasão da sede do Tortura Nunca Mais do Rio

“Diante dos fatos ocorridos, consideramos inaceitável o ataque a uma entidade que realiza um trabalho fundamental na defesa dos direitos humanos”, disse a secretaria de Direitos Humanos da Presidência
por Redação da RBA publicado 20/07/2012 18h52, última modificação 20/07/2012 18h57
“Diante dos fatos ocorridos, consideramos inaceitável o ataque a uma entidade que realiza um trabalho fundamental na defesa dos direitos humanos”, disse a secretaria de Direitos Humanos da Presidência

São Paulo – A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República solicitou à Polícia Federal hoje (20) que acompanhe as investigações das ameaças anônimas recebidas pelo grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro, bem como a ocorrência da invasão da sede da entidade.

O local foi invadido ontem (19): arquivos foram revirados e documentos foram roubados, mas objetos de valor permaneceram intocados. O invasor não arrombou nenhuma porta. Há nove dias, a entidade havia recebido uma ameaça anônima, que dizia para que os ativistas tomassem cuidado. “Querem nos amedrontar, mas continuaremos com nossa luta”, afirmou à Rádio Brasil Atual Victória Grabois, diretora do Tortura Nunca Mais do Rio, que pede a punição aos assassinos e torturadores da ditadura.

“Diante dos fatos ocorridos, consideramos inaceitável o ataque a uma entidade que realiza um trabalho fundamental na defesa dos direitos humanos”, disse o órgão da Presidência. “Mais grave se torna o fato diante da dedicação do grupo Tortura Nunca Mais à democracia e ao combate à tortura nos dias de hoje.”

A Secretaria de Direitos Humanos avalia que o país vive um momento recuperação da memória e da verdade histórica que levarão ao amadurecimento da democracia brasileira. “Consideramos fundamental que estes episódios sejam rapidamente investigados e solucionados, para que se esclareçam as reais causas da violência contra a entidade e para que ela tenha plenas condições de continuar a realizar seu importante trabalho.”