Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2010 / 09 / Censo 2010 já coletou dados de mais da metade da população, segundo IBGE

Censo 2010 já coletou dados de mais da metade da população, segundo IBGE

Os recenseadores devem visitar 58 milhões de domicílios até outubro
por Redação da RBA publicado 08/09/2010 15h55, última modificação 08/09/2010 16h27
Os recenseadores devem visitar 58 milhões de domicílios até outubro

São Paulo - Dados atualizados nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que 59% dos domicílios do país já foram visitados. Entre os estados em que o recenseamento avança mais rapidamente estão Rondônia (74% dos domicílios), Tocantins (69%), Mato Grosso do Sul (68%) e Paraíba (68%). Paraná, um dos estados que estavam com menor percentual de coleta até o último balanço, alcançou 67% dos domicílios recenseados.

Em função das grandes distâncias, os estados do Amazonas (40%), Acre (46%) e do Pará (49%) fazem com que a região norte tenha o menor percentual de residências visitadas (51%).

Santa Catarina é o estado que finalizou o levantamento em mais cidades, cinco ao total. São elas: Peritiba, Lajeado Grande, Arvoredo, Pinheiro Preto e Entre Rios. Com o acréscimo de Peritiba, de uma semana para outra, subiu de oito para nove, o total de municípios no país (5.565) em que o Censo 2010 foi concluído.

Durante entrevista à imprensa, o presidente do IBGE Eduardo Pereira Nunes informou que estes percentuais estão dentro do prazo e que existe a possibilidade de o levantamento terminar em pequenos e médios municípios antes do prazo, em 31 de outubro. Também afirmou que a coleta de dados há foi normalizada nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul, onde a falta de coletes de identificação dos recenseadores atrasou as entrevistas.

Resistência na obtenção de dados

Os recenseadores estão tendo dificuldade em coletar dados sobre rendimentos nos domicílios, segundo Eduardo Pereira Nunes. Porém, o presidente do IBGE afirma que isso não afeta o andamento do levantamento.

Nunes explicou que esse item sempre encontrou resistência da população. "Isso existe em qualquer pesquisa domiciliar", afirmou. "Tanto faz população de renda alta ou de baixa. Mas nada que impeça de retirar os extremos e trabalhar com a média".

Com informações da Agência Brasil

registrado em: