Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2010 / 02 / Rio: campanha contra sumiço de crianças no carnaval distribui 30 mil pulseiras de identificação

Rio: campanha contra sumiço de crianças no carnaval distribui 30 mil pulseiras de identificação

por Flávia Villela publicado 11/02/2010 14h03, última modificação 11/02/2010 14h04

Rio de Janeiro - A Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro, terminou na amanhã desta quinta-feira (11) a Campanha de Prevenção ao Desaparecimento de Crianças e Adolescentes no Carnaval. Durante dois dias, foram distribuídas 30 mil pulseiras de identificação no Terminal Rodoviário Novo Rio, local por onde passam diariamente mais de 80 mil pessoas no período de férias escolares e feriados.

Mães que têm filhos desaparecidos participaram da campanha divulgando cartazes com fotos dos filhos e conscientizando as pessoas que passavam com crianças. Luciene Torres não vê a filha, Luciane Torres da Silva, 10 anos, desde agosto. Ele é uma das 104 crianças que estão desaparecidas no estado de forma enigmática.

“Ela saiu para comprar pão lá perto de casa, em Nova Iguaçu [Baixada Fluminense] e nunca mais voltou. Por isso estou aqui, para alertar os pais na prevenção, que tomem cuidado com seus filhos para que não aconteça com eles o que aconteceu comigo.”

O gerente do Programa SOS Crianças Desaparecidas promovido pela FIA, Luiz Henrique Oliveira, explicou que, embora o desaparecimento temporário de crianças e adolescentes nos locais de grande concentração de pessoas seja mais frequente nesta época do ano, é fundamental que a criança saia de casa sempre identificada.

“Seja com uma pulseira, um crachá, uma carteira, um bordado na camisa ou na costura. É importante que haja a cultura da identificação em todo o país. Outro ponto importante é o diálogo com a criança para que ela também fique atenta em locais de muita movimentação.”

Embora não seja possível determinar o número de crianças que se perdem nesta época do ano, o coordenador do SOS Crianças Desaparecidas acredita que a quantidade de desaparecidos temporários passe de mil somente no estado do Rio, com base em estimativas de anos anteriores.

Luiz Henrique disse que o pai ou responsável deve procurar imediatamente a delegacia mais próxima para registrar a ocorrência, tão logo fique constatado o desaparecimento. Além disso, a FIA funciona 24h para o eventual acolhimento de crianças e adolescentes perdidos. O telefone da central é (21) 2333-7423. 

Fonte: Agência Brasil

registrado em: ,