Você está aqui: Página Inicial / Ambiente / 2015 / 02 / Diretor da Sabesp confirma risco de contaminação da água em caso de rodízio

CPI

Diretor da Sabesp confirma risco de contaminação da água em caso de rodízio

Presidente da companhia continua negando possibilidade de adoção de rodízio; decisão deve ser avaliada novamente ao fim do período de chuvas, em março
por Redação RBA publicado 27/02/2015 13h01, última modificação 27/02/2015 13h55
Presidente da companhia continua negando possibilidade de adoção de rodízio; decisão deve ser avaliada novamente ao fim do período de chuvas, em março
Massato.jpg

Massato, sobre o rodízio: "É um risco que queremos evitar mantendo a mesma condição de operação da rede de distribuição que temos hoje”

São Paulo – Em depoimento à CPI da Sabesp na Câmara de São Paulo, na última quarta-feira (25) o diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato, confirmou que a adoção  de rodízio no abastecimento traria riscos de contaminação da água, mas minimizou: "É um risco que queremos evitar mantendo a mesma condição de operação da rede de distribuição que temos hoje”. O diretor diz que a principal consequência seria o aumento de casos de disenteria, porém, sem riscos de morte à população. "Temos medicina suficiente para minimizar riscos."

Para Massato, a decisão de adotar o rodízio só será tomada após o período de chuvas, em março. "Temos convicção que é melhor fazer essa redução de pressão do que o rodízio. Essa forma seria a última alternativa."

O presidente da companhia, Jerson Kelman, também afasta a possibilidade, até o momento: "levando em consideração o quanto de água nós temos em estoque, levando em consideração cenários pessimistas de quanta água chegará aos vários sistemas produtores, e levando em consideração um cronograma de obras chego à conclusão de que não será necessário o rodízio.”

Otávio Ferreira Garcia, da Promotoria de justiça do patrimônio público e social da capital, diz que o órgão está investigando se houve, ou não, omissão de autoridades em relação ao racionamento. "Foram solicitadas cópias das atas das reuniões ordinárias e extraordinárias realizadas pelo conselho de administração, justamente para verificar em comparação aos níveis dos reservatórios se esse assunto foi devidamente tratado, e se houve um planejamento a contento, e se foi executado.”

Ouça a reportagem completa da Rádio Brasil Atual:

registrado em: , ,